Image

João Dória abre a segunda coletiva da Parada do Orgulho LGBT em São Paulo!

13/06/2017– Redação (atualizado 14/03/2017 ás 12:08)

Image
Com discurso cauteloso, prefeito João Dória (primeiro do lado esquerdo junto com a Drag Tchaka Queen e o vice-prefeito Bruno Covas)fez uma fala destacando potencial turístico e econômico da Parada e disse torcer por 'tempo bom'. Foto :Regis Araujo (Site QGmag)

Foi realizado ontem (13) a segunda coletiva da APOGLBT (Associação da Parada do Orgulho GLBT) onde falaram algumas novidades e a entregas de credenciais ás pessoas ligada á impressa. Confirmaram que a 21ª edição da Parada Gay de São Paulo, que acontecerá entre as 12h e as 18h deste domingo (18), na região central da capital paulista.

Drag Tchaka Queen começou a apresentação onde o principal destaque da coletiva realizada no salão de eventos da própria sede da prefeitura da cidade de São Paulo, o prefeito João Dória começou a falar sobre a importância do evento na cidade que gera um lucro estimado de 45 milhões com vinda de vários turistas que ficam por 4 dias na capital paulista.

Image
Drag Tchaka Queen abriu a segunda coletiva realizada dentro da sede da Prefeitura de São Paulo. Foto : Heloísa Ballarini (secom)

Dória começou dizendo também a importância de empresas do setor privado invistam no evento cujo o público estimado seja de 3 milhões de pessoas (entre a Avenida Paulista e Rua da Consolação). “Se o tempo estiver bom” diz o prefeito esperando que o tempo bom ajude o evento onde diz que custo foi de 1,5 milhões na infraestrutura, o mesmo do ano passado.

Na mesa principal estavam os principais destaques, Anna Pellegrini da empresa Uber, Secretária dos diretos humanos e da cidadania Elisa Arruda, Secretário estadual da Justiça Marcio Elias Rosa, Vice-prefeito Bruno Covas, Claudia Regina presidente da APOGLBT e Rafael Pulcinelli da empresa Skol. Eles falaram de algumas novidades e os motivos de estarem apoiando a causa do evento.

Image
100 milhões de reais de impacto direto na economia da nossa cidade, o que é um valor absolutamente expressivo, considerando o tempo de realização do evento e o período que o antecede"Foto :Regis Araujo (Site QGmag)

O prefeito não vai participar do evento. Doria explicou que no domingo é aniversário de sua filha Carolina, que completa 15 anos, com quem já havia combinado uma viagem festiva a Porto Rico. Em seu lugar irá o vice-prefeito, Bruno Covas que junto com o secretário regional da Sé , Sr. Eduardo Odloak, irá comparecer em todos os eventos da Parada.

Entre as novidades será a presença das cantoras Anitta, Naiara Azevedo, Márcia Freire e da Lorena Simpson no trio do aplicativo Uber que irá com os produtores da festa “Chá da Alice”, além de uma atração surpresa que irão anunciar no sábado (17).

Uber também mostrou um pequeno vídeo mostrando um motorista trans com nome real Priscila e reclamando da discriminação ao procurar emprego onde se sente “indiscriminada” pelas empresas e somente no Uber aceito a usar seu nome de batismo Rodrigo. A empresa diz que trata todos com respeito com os usuários e os motoristas do aplicativo lançando uma cartilha que será distribuída na parada e lançando o hashtag #oamornosconecta.

Image
Rafael Pulcinelli representante da marca Skol (ao microfone) não respondeu a pergunta do jornalista sobre os custos da empresa em apoiar o evento. Foto :Regis Araujo (Site QGmag)

No trio da Skol, atração principal será da presença da cantora Daniela Mercury, além de divulgar a latinha comemorativa (logo da empresa em arco-íris) que será comercializada somente no dia do evento e que uma parte da renda será destinada aos organizadores do projeto “Casa1” que recebem gays que são expulsos de suas casas.

Também foram anunciados dois novos apoiadores, a rede de hotéis ACCORHOTEIS e Doritos que lançou somente para a impressa a linha da marca chamada “Rainbow” para homenagem o apoio.

Também foram distribuídas as credenciais de impressa para pessoas que tem ligação á blogs, sites, revistas, entre outros... Como também os jornalistas que poderia perguntar ao prefeito algumas dúvidas.A mais interessante foi do grupo Guia Gay de São Paulo, que perguntou que ainda falta de divulgação dos lugares que se dedicam ao mundo gay, como boates, restaurantes, lojas de roupas, etc. que durante o ano inteiro, pois muitos turistas vão a boa parte do ano na capital e que acabam não sabendo destes lugares. Dória diz que irá avisar ao secretário de turismo avaliar e observar em divulgar sempre a parada.

Image
Evento foi realizado dentro da sede da prefeitura de São Paulo que pela primeira vez fez uma coletiva da Parada no salão de evento. Heloísa Ballarini (secom)

A revista Época e a Folha de São Paulo, perguntaram sobre investimentos e os gastos de cada um. Uber diz que financiou a parada em 1 milhão enquanto a Skol diz que por ser empresa privada não poderia saber os custos. Prefeito confirmou que aos poucos estará fazendo ligações com as empresas privadas no evento, reduzindo os custos que a prefeitura estava fazendo alguns anos atrás, mas sempre fazendo junto com o Governo do Estado de São Paulo fazendo a infraestrutura e coodernação da parada.

O lema da Parada será "Independente de nossas crenças, nenhuma religião é lei. Todas e todos por um Estado laico". "Não podemos permitir que grupos extremistas tomassem o Estado, por meio de conchavos políticos eleitorais. O Estado precisa ser de todos. Um dia espero que a Parada seja somente um evento festivo. Por enquanto, ainda é de luta", afirmou Cláudia, que listou uma série de casos de violência contra a população LGBT no Brasil e no mundo. "Infelizmente, a maior parte desses casos é motivada por intolerância baseada em preceitos religiosos", completou. São Paulo – O prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB), anunciou nesta terça-feira (13) a programação da 21ª Parada do Orgulho LGBT, que será realizada no próximo domingo (18), na Avenida Paulista. Apesar da cautela, o prefeito cometeu uma gafe ao destacar que não importa a opinião de cada um, desde que prevaleça o respeito "porque todos têm direito às suas opções (sexuais)". A fala causou desconforto em alguns presentes, já que a expressão apropriada é "orientação sexual".

Image
Drag Tchaka Queen ao lado da presidente da APOGLBT, Claudia Regina (ao centro) depois do encerramento da coletiva ao lado da impressa que receberam no dia, as credenciais. Foto :Regis Araujo

"A gente não escolhe ser gay. Não é uma escolha que a gente faz. A gente nasce com essa predisposição, seja homossexual ou heterossexual. O termo 'opção' é mais ofensivo do que qualquer outro termo, pois a sensação que dá – e é justamente o que os conservadores usam para nos atacar – é que se trata de uma escolha, e se a gente quiser, pode mudar.”. O prefeito sem querer falou, mas o pessoal, na sequência, corrigiu. “Tem que sumir com essa palavra ‘opção’”, explicou a presidenta da Associação Parada do Orgulho LGBT, Cláudia Regina.

De acordo com o prefeito, considerando também o consumo de residentes da Grande São Paulo, a Parada deve girar um valor ainda maior. E já a partir do início do feriado prolongado, amanhã (15): "100 milhões de reais de impacto direto na economia da nossa cidade, o que é um valor absolutamente expressivo, considerando o tempo de realização do evento e o período que o antecede", completou.